O QUE NOS FAZ ENGORDAR?

Miranda by SAPO | #PESO E MEDIDA

| O nutricionista Pedro Queiroz assina a crónica #PesoeMedida e é o nosso melhor conselheiro em matéria de emagrecimento e controlo de peso. Para início de conversa, as várias causas na base do aumento de peso |

Quando se inicia uma dieta de emagrecimento o nosso entusiasmo está voltado para a rapidez dos resultados. Mas para manter estes resultados é fundamental conhecer as causas do aumento de peso e ajustar as variáveis ao nosso alcance para nunca mais voltar a recuperar os quilos a mais. De forma simplista, podemos dizer que o aumento de peso resulta de uma ingestão alimentar maior que aquilo que o nosso organismo gasta, mas é muito mais do que isto.

O equilíbrio do nosso peso está associado a um conjunto multi-dimencional de factores: genéticos, hormonais, hídricos, alimentares, psicológicos, ambientais, gasto energético e metabolismo individual. São estas variáveis que, quando controladas, permitem evitar um novo aumento de peso e contrariar uma tendência que muitas vezes julgamos inevitável.

POR QUE ENGORDAMOS

. Factores hídricos
Num indivíduo saudável, mais de 50% do corpo é constituído por água. É fácil verificar que qualquer alteração neste factor condiciona de forma muito significativa e relevante os valores do nosso peso. Pessoas cuja tendência para retenção de líquidos seja uma característica deverão ajustar o nível de ingestão de líquidos às suas reais necessidades que são, com certeza, diferentes para cada caso. Sabemos, apesar da importância desta variável, que uma perda de peso saudável não deverá ser feita à custa dos líquidos mas sim à base de gordura corporal.

. Factores hormonais
Sabemos que os factores hormonais são capazes de interferir directamente no funcionamento dos diferentes sistemas do nosso corpo. Saliento, como exemplo, as alterações de peso que ocorrem ao longo do ciclo hormonal da mulher. A variação de peso chega a ser de +500g a +1 Kg, em apenas 1 dia. Voltando dias depois a corrigir em baixa. Estas bruscas alterações hormonais que ocorrem na mulher são um dos factores que torna a perda de peso para um homem muito mais fácil e consistente, devido à maior estabilidade dos seus níveis hormonais.
Na gravidez e aleitamento ocorrem também grandes flutuações hormonais, que acabam por condicionar a evolução do peso e a acumulação de gordura. Hipotiroidismo, síndroma de Cushing, ovários poliquísticos também podem favorecer o excesso de peso mas, ao contrário do que muitos pensam, contribuem em menos de 1% para as causas de obesidade.

. Factores alimentares
São estes que devem basear as nossas mudanças de comportamento. Conhecer os alimentos e a importância das suas interacções, saber como escolhê-los e combiná-los correctamente são conhecimentos que permitirão ao nosso corpo evitar o aumento de peso e começar, até, a perder o peso em excesso. Sabemos que a base de uma perda de peso saudável consistente e duradoura baseia-se na alimentação, ajustada a cada pessoa. Muitas vezes, mais importante do que as calorias que ingerimos é a forma como o nosso corpo reage, absorve e acumula essas mesmas calorias, daí a importância de um aconselhamento especializado.

. Factores psicológicos
Nunca podemos esquecer a importância que a mente tem sobre o funcionamento do nosso corpo. A atitude comanda a vida e por vezes o excesso de ingestão alimentar e, por conseguinte, o aumento do nosso peso pode, também, ser uma resposta à solidão, ansiedade ou depressão. Nestes casos, o acompanhamento profissional deve ser ponderado.

. Factores ambientais
O excesso de peso parece estar ainda relacionado com a disponibilidade e abundância de alimentos e o estilo de vida. E sabemos que a influência da família e das pessoas que nos rodeiam também tem o seu papel preponderante. Dou como exemplo a utilização de alimentos como recompensa, ingerir tudo o que é servido no prato, almoços de trabalho e outros factores que ajudam a criar hábitos alimentares desadequados que, a prazo, contribuem para o aumento de peso.

. Gasto energético
O gasto energético das nossas actividades diárias interfere, e muito, nas nossas reais necessidades alimentares. Não poderá ser igual um plano para um atleta profissional e para um acamado. Mas mais do que se tornar num atleta profissional o desafio será iniciar actividades e exercícios ligeiros de uma forma consistente no dia-a-dia. O ganho em boa disposição e forma física far-se-ão sentir de forma imediata, e segundo a American Heart Association cada hora que gasta nestes exercícios ligeiros pode aumentar até duas horas a nossa longevidade! Parece um bom investimento e sugiro que comece já hoje!

. Metabolismo individual
É sem dúvida um dos principais responsáveis pela tendência de sermos magros... ou mais fortes. Há pessoas que comem muito e são magras e outras que ao mínimo desvio alimentar parece que estão sempre a engordar. O metabolismo individual de cada pessoa representa a energia mínima necessária ao nosso corpo para manter as suas funções vitais, podendo ser ajustado diminuindo níveis de gordura no nosso corpo e através da prática regular de exercício. Para conhecer o seu metabolismo individual há que realizar um estudo disponível nas melhores clínicas de nutrição do nosso país. São estas, de forma sucinta, as 8 causas de qualquer aumento de peso. Umas com mais importância relativamente às outras, mas todas com o seu papel de relevo. O desafio é, muitas vezes, encontrar um equilíbrio entre elas que permita a manutenção de um estilo de vida saudável, ajustado às nossas características genéticas e desfrutar de mais saúde, mantendo o nosso peso equilibrado.

#PESO E MEDIDA