COMER BEM, SENTIR-SE BEM, REGRAS DE OURO A SEGUIR HOJE E SEMPRE

Miranda by SAPO | #PESO E MEDIDA

Uma das regras para ter uma dieta equilibrada reside em variar os alimentos, de modo a incluir o maior número de nutrientes de que o nosso corpo necessita. Mas há mais! Leia até ao fim, porque vale a pena começar já hoje a mudar alguns hábitos. A sua saúde só agradece.

“Comer bem” pode ter diversos significados. Aliás, tenho muitos clientes para os quais comer bem era - até me conhecerem ;) - algo associado a refeições de grandes quantidades e pratos, digamos que... mais elaborados. Mas cada vez mais a escolha da qualidade e os ajustes na quantidade no que respeita à alimentação e à selecção dos alimentos para as refeições do nosso dia-a-dia devem ser a prioridade.
Hoje em dia, “comer bem” pode e deve ser associado a bons hábitos alimentares e práticas de saúde que nos façam sentir bem e nos tornem mais saudáveis.

A população portuguesa está cada vez mais atenta a esta nova forma de encarar a alimentação e já é frequente ouvir falar de alimentos como a castanha do brasil, o gengibre, a quinoa e tantos outros alimentos que começam agora a fazer parte do nosso vocabulário e do nosso prato. Mas mais do que modas, a alimentação deve seguir algumas linhas orientadoras de modo a oferecer-nos todo o seu verdadeiro benefício para a nossa saúde.

AJUSTAR A ALIMENTAÇÃO AO NOSSO ESTILO DE VIDA, FASE DA VIDA E ACTIVIDADE FÍSICA É A BASE DA NUTRIÇÃO

Outra das regras é optar por uma alimentação diversificada, que incluia o maior número de nutrientes de que o nosso corpo necessita. As quantidades, os tipos de alimentos e os horários das refeições devem ser adequados especificamente para si.

Os dados mais recentes da Direcção Geral de Saúde e da pordata evidenciam que 3 em cada 5 portugueses têm excesso de peso e 1 em cada 5 é obeso. 77% consome mais de 5g/dia de sal sendo o máximo de 2g/dia a recomendação da Organização Mundial da Saúde. Ainda neste registo, 2,5 milhões de portugueses - cerca de 1/4 da população - consomem açúcar acima da recomendação da OMS. Ou seja, ainda há um grande caminho a percorrer para que se consigam alcançar níveis adequados de saúde, como tal devemos começar hoje! Por pequenos passos, mas sejam firmes e na direcção certa.

O nosso corpo tem uma enorme capacidade de adaptação e resistência pelo que, sem grandes afinações nas escolhas alimentares, ele consegue sobreviver. Mas queremos mais do que isso. Hoje em dia, procuramos viver mais e melhor. Com mais qualidade, menos doenças e optimizando a nossa esperança e qualidade de vida. Isto consegue-se na via alimentar, escolhendo de forma precisa os melhores alimentos e enquadrando-os no nosso dia-a-dia.

A nossa alimentação deve respeitar os nossos gostos, estilo de vida, hábitos, níveis de exercício e necessidades específicas. Conhecemos cada vez mais os diferentes alimentos, sabemos cada vez sobre os seus nutrientes e benefícios.

SÃO VÁRIOS OS ESTUDOS QUE SALIENTAM OS CONTRIBUTOS DE NUTRIENTES INDIVIDUAIS E OS RISCOS DE EXCESSOS EM TANTOS OUTROS

Cabe ao nutricionista ajustá-los para cada pessoa de forma muito personalizada, procurando alcançar o máximo de saúde permitido pelas suas características genéticas. Este não é o futuro mas sim o presente da nutrição. Fazer com que cada pessoa se sinta bem, comendo melhor!

Conheça o seu corpo e experimente ajustar os seus hábitos alimentares para assegurar uma saúde de qualidade. Para sempre.


#PESO E MEDIDA